Stress

De onde vem o stress? Parece que ele anda ocupando 60% das nossas vidas ritmadas a trabalho, problemas e resmungos, reclamações e ai não temos a onde extravazar a raiva que sentimos por uma série de pudores que a sociedade, a nossa família, o nosso trabalho e nos mesmos nos impomos onde os outros não tem nada haver com aquilo que você está fazendo ou sentindo.

Então me diga o que fazer quando não temos mais paciência de sermos tolerantes com os nossos problemas e chateações diárias? O que fazer quando o nosso stress é tamanho que chegamos a adoecer sem saber como controlá-lo, como achar uma válvula de escape para que ele em sua dimensão não seja extravazado nas pessoas, nas coisas erradas?

Descobri ao longo de conversas com amigos, que cada um tem a sua maneira de burlar esse aumento de revolta com o ambiente em que estamos e com os problemas que temos e que se acumulam  nos fazendo enlouquecer, na busca de soluções. Alguns escutam música, dizem que o efeito dela é terapêutico e tem a capacidade de amenizar o furor que nos leva ao stress. Outros, escrevem sobre as suas frustrações  e indignados lançam ao papel palavras ferinas que não magoaram a ninguém, ao contrário é possível expelir a raiva e ainda ninguém ficar sabendo  daquele seu momento íntimo com a caneta e o papel. E mais aluns, fazem uma caminhada despreocupada num lugar diferente do que estão habituados a ir e observam a natureza. E isso é terapêutico também, pois, é só naquele momento que é possível esquecer de tudo ou pensar em tudo com calma e serenidade e é ali que encontramos soluções ou buscamos mais ainda respostas. A diferença ali quando caminhamos ao som do nada é que olhamos com maior doçura o que estamos vivendoe pensamos de maneira mais precisa aquilo que realmente necessita de uma solução e o stress nesse lugar de natureza e tranquilidade não existe  ele é apenas algo que as pessoas dizem, mas que ali não tem efeito nenhum nas nossas ações.

Caro amigo, eu sei que é complicado imaginar que sua mente vai se esvaziar tão facilmente da turbulência crescente em que você vive ao longo da semana, ou até mesmo ao longo da vida, contudo eu não peço que acredite no que digo ou teste o que digo, apenas peço que pense se em algum momento da sua vida você não parou para pensar nessas coisas da maneira como eu falei e realmente as preocupações não sumiram, mas você foi capaz de contemplá-las de outra maneira. Eu proponho para você, que relembre a sua própria maneira de se libertar do stress de maneira a não ser nocivo liberando toda aquela carga ruim em quem não tem nada haver e até aqueles que tem haver não desconte, pois nesses momentos nossos atos podem ser irreversíveis então, repense como funciona sua válvula de escape para o stress e faça com que ele desapareça da maneira mais sútil para que as pessoas não o admirem por isso, mas sim para qie você sinta que dentro de si há um diferencial que ninguém vai ser capaz de questionar.

Questionário

O que acha do que eu escrevo?

Total de votos: 63

http://normalilian27.webnode.com.br/contacte-nos/